Cuidados com  ninhada

Nossos cuidados com os filhotes!

Os cuidados começam antes mesmo do nascimento dos filhotes, antes mesmo de nossa fêmea ser coberta... Aliás, é um trabalho de toda uma vida do cão, sempre fornecendo uma boa ração, os cuidados necessários com a saúde, pelagem e claro, muito amor!

Vamos por etapas para um cruzamento:


Exames pré-nupciais

A partir dos 24 meses de vida da cadela fazemos os exames de displasia coxofemoral e de cotovelos nela, sempre com veterinários competentes, com o animal sedado e com laudo oficial. O exemplar estando dentro do permitido para procriação passamos para a próxima etapa.

Quando vamos utilizar um padreador de outro canil realizamos o exame de brucelose canina na fêmea.

Alguns exames precisam estar ok para que o animal possa acasalar, são estes: hemograma completo, para certificar do bom estado de saúde da fêmea sem presença de infecção e etc., o exame de brucelose, para certificar que a cadela não possui esta afecção, o exame negativo de leishmaniose, babesiose, erlichiose e doença de lyme. Depois de um chek-up geral da fêmea podemos finalmente escolher um padreador.

È importante certificar que a imunização da cadela não vá “vencer” próximo do acasalamento ou parto, sendo recomendada a imunização pouco antes da cobertura, fortalecendo a imunização materna importante para o filhote, quando ele mama o colostro.

Escolha do padreador

Certamente é uma etapa difícil, mas muito prazerosa! Eu realmente amo os goldens então para mim é um sonho ficar olhando diversos cães e de diversas linhagens para decidir qual o futuro papai dos filhotes!

Essa escolha é feita analisando tanto a linhagem do cão, como os resultados dele em exposições, o temperamento do mesmo e quando possível nos filhotes que ele já produziu.Claro que e preciso exigir os mesmos exames do padreador, para que possamos produzir uma ninhada saudavel!

É realmente uma etapa muito legal e bacana, mas cheia de dúvidas! Não é fácil escolher o nosso novo “genrinho”!

Acasalamento

Para nos certificarmos da data correta do acasalamento precisamos de um manejo reprodutivo, nesta fase de cio, a partir que a cadela sangra, controlamos as etapas através de citologia vaginal, vaginoscopia e realizados um exame de progesterona, a fim de determinar o dia da ovulação e precisar o melhor momento para o acasalamento. A cadela deve ser vermífugada na data da cobertura a fim de quebrar o ciclo de endoparasitas específicos.

É uma etapa complicada, onde temos duas opções: viajamos com a fêmea até o macho ou o proprietário do macho nos manda o sêmen do cão resfriado, via aérea, para ser inseminado na nossa cadela sem termos que viajar. Essa decisão é feita vista a distância entre nos e o macho e o melhor custo/beneficio.

Após o cruzamento nossa fêmea permanece em repouso na casa do macho durante alguns dias para evitar o risco de aborto espontâneo devido à viagem. 

 

 

 

Primeiro mês de prenhez:

Em geral os cuidados continuam os mesmo de um mês normal, somente evitando exercícios fortes e bruscos. No nosso caso nossa fêmea fica muito enjoada e sem animo para comer e precisamos entrar com algumas misturas na ração. Nesta fase já podemos entrar com ração específica para gestantes, não a ração de filhotes comum, mas a ração chamada HT 42 da Royal Canin. 

Confirmando a prenhez:

A partir dos 30 dias podemos confirmar a gestação por meio de ultrassom feito por um veterinário especializado. O ultrassom é repetido com 50 dias juntamente com o exame de raio-X para confirmar a viabilidade dos filhotes e o numero de filhotes esperado. Este é o processo chamado pré-natal da mamãe golden!


Segundo mês de prenhez:

Nossa fêmea passa a comer ração para filhotes, como as nossas sao mais “chatinhas” continuamos misturando alguma coisa para que ela tenha mais vontade de comer.

Nesse mês também providenciamos a caixa de parto, que é uma caixa onde a cadela tem os filhotes e os amamenta depois, ela tem barras nas laterais para diminuir a chance da mãe esmagar os filhotes.

Perto do nascimento:

Ao chegar perto do nascimento a fêmea passa a comer menos e é preciso mais cuidado com a alimentação dela para garantir que ela coma o necessário. 

Também apresentamos a cadela a caixa de parto e as incentivamos a entrar, cheirar, conhecer e ficar deitada lá dentro.

Nascimento:

É preciso muito cuidado e essa etapa depende muito de fêmea para fêmea. Nossa fêmea costuma fazer tudo sozinha, mas ficamos ao lado dela o parto inteiro para auxiliar a esquentar os filhotes (nessas primeiras horas os filhotes perdem calor de uma forma assustadora) e assim que percebemos que ela vai dar a luz a mais um, separamos os que estão mamando para não ter nenhum perigo dela pisar neles. Outra função nossa ao passar a noite inteira em claro acompanhando tudo é cronometrar o tempo de nascimento entre os filhotes (intervalos maiores que duas horas são preocupantes), assim vamos marcando em uma tabela a hora do nascimento de casa filhote, o peso do mesmo e o marcamos com uma fitinha (cada filhote com uma cor). Neste momento temos que controlar a temperatura ambiente, umidade relativa do ambiente, sempre com auxilio de aquecedor e ventilador para proporcionar melhor conforto térmico para a mamãe de acordo com a temperatura do local.

Primeiros 20 dias de vida do filhote: 

São os dias mais preocupantes e que necessitam de mais cuidado e atenção.

A atenção com a mamãe é intensa, 24 horas por dia, sempre verificando o tempo de mamada de cada filhote e certificando que o mesmo receba o aporte nutricional necessário a cada 2 horas. Cuidados com a tmeperatura tambem e importante, o ambiente e controlado com uso de aquecedores e cimatizadores para que a temperatura e a umidade do local seja sempre ideal para o desenvolvimento dos filhotes.

Os filhotes também são pesados diariamente e efeito o calculo de ganho de peso individual, assim que um filhote nao ganha o peso necessario e preciso suplementar o filhote.Com 15 dias inciamos  vemrifugacao com vermifugo especifico apra filhotes e repetido a cada 15 dias ate os 80 dias de vida.Neste momento e necessario limparmos o ambiente com desinfetante a base de amonia quarternaria, 5x ao dia a fim de evitar reinfestacoes.

A partir dos 3 dias de vida é feito o exame neonatal e neurológico completo de cada filhote, e nós do Canil Calli realizamos um procedimento chamado “estimulação neurológica precoce”, onde realizamos uma série de exercícios com os filhotes para que melhore seu desenvolvimento físico e mental, como relatam alguns estudos (vide bibliografia recomendada no final do texto).

 

Aos 25 dias de vida

Em média com 25 de vida iniciamos a apresentação de alimento sólido, a chamada papinha desmame. È um momento muito divertido ver os filhotes sentido o cheirinho do alimento, brincando, se lambuzando se alimentando corretamente. A partir do inicio da papinha, os filhotes passam a reduzir as mamadas, a papinha é oferecida 4 vezes ao dia, juntamente com água filtrada. Este processo é feito junto com a mãe, os filhotes não são separados da mãe ainda, embora nesta fase eles comecem a explorar mais a maternidade onde vivem.

Aos 30 dias de vida

Nesta idade o filhote é vacinado pela primeira vez, com vacina puppy especifica para filhotes, juntamente com a mamãe que é vermifugada com vermífugo específico para adultos. 


Depois que os filhotes começam a comer de verdade eles logicamente acabam se sujando mais, a mãe não limpa suficientemente e então começamos a dar banho com água morna/quente, com shampoo especifico para filhotes e eles são totalmente secos com secador após o banho para evitar qualquer problema. Isso é feito a cada uma/duas semanas.

Aos 45 dias de vida

Nesta idade os filhotes já estão grandes, andam facilmente por toda a casa, latem e interagem de forma intensa com humanos e outros animais. Com 45 dias iniciamos a imunização do filhote com vacina ética. È com esta idade que começa o processo do desmame. Os filhotes já comem ração sólida e seca sem dificuldades, mas mesmo assim adoram mamar e ficar ao lado da mamãe, que neste momento com os dentinhos afiados dos filhotes fica incomodada, quando não fica machucada das mordidas dos filhotes. A redução do desmame deve ser lenta, retirando uma mamada por dia até que o animal não mame mais, é bem difícil e em alguns momentos passamos a separa-los da mamãe, por exemplo, os filhotes passam um período do dia em outro ambiente, com brinquedos, alimentos e outras distrações para que a mamãe possa descansar dos cuidados. Nesta fase de desmame intensificamos os cuidados com a mamãe, e frequentemente usamos um suplemento alimentar a fim de que a cadela se recupere mais facilmente.

Aos 60 dias de vida

Nesta idade o filhotinho já pode ser liberado para sua nova casa, está grande, interage bastante com humanos e, já esta totalmente vermifugado e já possui sua primeira imunização, esta deve ser completada posteriormente pelo seu novo proprietário. É com esta idade que o filhote é microchipado, com microchip anti-migratório de qualidade internacional, a fim de que o animal possa ser identificado por qualquer pessoa em qualquer país munido de uma leitora específica.

Com a ida dos filhotes embora, as atenções para a mamãe são redobradas, intensificando alimentação, contato diário e passeios para que ela não sofra com a partida de todos os filhotes.  Então é aguardar por no mínimo 8 meses até a nova ninhada, sempre fazendo intervalo entre cios que podem variar de 4 meses a 12 meses dependendo da fêmea.

 Autoria: Médica Veterinária Isabella Calli e estudante de medicina veterinária Ana Luiza Morato.


Bibiografia Recomendada


BARRETO, Christianne Silva. Avaliação do filhote canino. 2003. 146-167 f. Monografia (Pós Graduação) - Curso de Medicina Veterinária, UNESP, Botucatu SP, 2003. 

BEAVER, Bonnie V. Comportamento canino: um guia para veterinários. São Paulo: Roca, 2001. 431 p.

BELARMINO, Cydia Mycheline Moura. Aspectos fisiológicos e considerações nutricionais de pacientes neonatos e pediátricos caninos e felinos. 2008. 34 f. Monografia (Graduação) - Departamento de Centro De Saude E Tecnologia Rural, Universidade Federal De Campina Grande, Patos - PB, 2008. Disponível em: <http://www.cstr.ufcg.edu.br/mv_downloads/monografias/mono_cydia.pdf>. Acesso em: 05 abr. 2011.

DOMINGOS, Thalia Catlheen Souza; ROCHA, Amanda de Ascenção; CUNHA, Isabel Candia Nunes da. Cuidados básicos com a gestante e o neonato canino e felino. Jbca – Jornal Brasileiro de Ciência Animal, Rio de Janeiro, p. 94-120. 01 set. 2008. Disponível em: <http://www.jbca.com.br/v1n2/artigo4/artigo_4_neonatologia.pdf>. Acesso em: 05 jan. 2011.

HOSKINS, Jhonny D.. Pediatria Veterinária: cães e gatos do nascimento aos seis meses. 2º Rio de Janeiro: Interlivros, 1997. 601 p. 

JOHNSTON, Shirley D.; KUSTRITZ, Margaret V. Root; OLSON, Patricia N. S. Canine and feline theriogenology. Philadelphia: W.B. Saunders Company, 2001. 592 p.

LANDSBERG, G; HUNTHAUSEN, W.; ACKERMAN, L.. Problemas comportamentais do cão e do gato. 2. ed. São Paulo: Roca, 2005. 492 p.

LAVELY, James A.. Pediatric Neurology of the Dog and Cat. Veterinary Clinics Small Animal Practice, California, n. 36, p.475-501, 2006.

PRATS, Antonio. Neonatologia e pediatria: canina e felina. São Caetano do Sul: Interbook, 2005. 469 p.

SORRIBAS, Carlos E. Atlas de reprodução canina. São Caetano do Sul: Interbook, 2006. 348 p.


http://www.royalgoldens.com/superdog%20article.pdf 

Golden Calli

Especializado em Golden Retriever

  • Instagram
  • Wix Facebook page

© 2013 by CALLI, ISABELLA & 2ndogs.com

                    All rights reserved

"Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coracao humano o que Deus tem preparado para aqueles que os amam"   1 Corintios 2.9