• Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page

© 2013 by CALLI, ISABELLA & 2ndogs.com

                    All rights reserved

"Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coracao humano o que Deus tem preparado para aqueles que os amam"   1 Corintios 2.9

Castração e Reprodução

Castração do Golden Retriever 

A castração é um assunto que está em alta nos dias de hoje. Veículos de mídia e médicos-veterinários, quase sem exceção, recomendam essa cirurgia sem reservas, listando uma infinidade de vantagens. Por trás dessa campanha em massa há uma justificativa comovente: a superpopulação de cães e gatos sem donos. Não devemos fechar os olhos para essa realidade. Milhares de cães e gatos abandonados, famintos e doentes perambulam pelas ruas, frutos de acasalamentos indiscriminados. A grande maioria desses animais não consegue ser adotada e acaba à própria sorte, ou é eutanasiada ("sacrificada"). 

Entretanto, partindo do princípio de que você será um dono consciente, que jamais abandonará seu cão e que não promoverá acasalamentos irresponsáveis, a decisão de castrar ou não o seu Golden Retriever depende também de outros fatores. É preciso entender que a castração, apesar de muito rotineira, é um procedimento cirúrgico definitivo, que implica na retirada de órgãos – os testículos do macho; o útero e os ovários da fêmea. Como tudo na vida, a castração tem dois lado: o positivo e o negativo. Por isso, em vez de recomendar o genérico "castre, logo!", preferimos que você mesmo pese os prós e os contras e decida se a castração é a melhor opção para o caso individual do seu Golden. 

Prós da castração de cadelas 

 Se feita em qualquer idade, a castração evita terminantemente a ocorrência da piometra, infecção uterina que acomete uma grande porcentagem de cadelas. A piometra costuma acontecer depois de alguns cios e, se não for diagnosticada a tempo, pode levar a fêmea à morte. 

 Se feita após o 1º cio a castração evita em mais de 90% o aparecimento de tumores mamários (extremamente comuns em cadelas). Entretanto, se realizada até os 2.5 anos de idade ainda traz grandes benefícios em relação a redução de incidência desses tumores. 

 Se feita em qualquer idade, a castração evita terminantemente o aparecimento de tumores uterinos e ovarianos (pouco comuns em cadelas). 

 Evita acasalamentos indesejáveis em qualquer dos casos abaixo: 

a-) Você tem macho e fêmea em casa 

b-) Você possui cães sem pedigree 

c-) Seus cães apresentam parentesco entre si; 

d-) Seus cães apresentam desvios do padrão da raça ou doença de herança genética; 

f-) Você não quer ou não tem condições de cuidar de uma cadela gestante e de todos os filhotes até que todos sejam vendidos ou doados. 

g-) Sua cadela teve eclâmpsia na última gestação (ela provavelmente a terá na próxima vez) 

 Evita a presença de cães machos no seu portão, uma vez que não mais haverá o odor de fêmea no cio. 

 Evita terminantemente que a cadela atleta (praticante de agility, flyball, etc) ou que acompanha frequentemente o dono em viagens, deixe de desempenhar essas atividades em função de esar no cio. 

 Evita terminantemente o incômodo do cio das fêmeas. Se você se incomoda com o sangramento e as alterações de comportamento de fêmeas no cio a castração é uma excelente opção para esse caso. Fêmeas de Golden frequentemente apresentam bastante sangamento e cios longos, algumas vezes com mais de um mês de duração. 

 Elimina a queda de pêlos ocasionada pelo cio e reduz a troca de pelagem sazonal. 

 Reduz o risco de fístulas (feridas) perianais (próximos do ânus). 

 Evita a pseudociese (gravidez psicológica), condição ligada aos hormônios sexuais. 

Contras da castração de cadelas 

 Aumenta a predisposição à obesidade. Se optar pela castração, assegure-se de oferecer bastante atividade física e alimentação com teor calórico moderado para evitar a obesidade e suas complicações. 

 Algumas cadelas se tornam um pouco irritadiças com outros cães. 

 Algumas cadelas se tornam um pouco menos ativas.. 

 Em algumas raças, a castração altera a textura da pelagem, favorecendo o re-aparecimento do lanugo (pêlo de filhote). 

 Se realizada antes do 1º cio, a castração pode predispor a episódios repetidos de cistite (inflamação da bexiga / infecção urinária) e vaginite. 

 Se realizada antes do 1º cio, a castração pode alterar a aparência da cadela quando adulta, podendo torná-la um pouco mais alta e estreita, sem menos massa muscular. 

 A castração pode deixar algumas cadelas com incontinência urinária. Esse quadro é ainda mais comum nas fêmeas castradas muito precocemente. 

 Uma cirurgia de castração realizada com pressa ou por um cirurgião inexperiente pode resultar em danos renais. 

 Uma cirurgia de castração realizada com anestésico de segurança questionável (em geral, em cirurgias muito baratas) pode lesionar o fígado. 

 Se realizada antes de um ano de idade, aumenta o risco de osteossarcoma (câncer ósseo). 

 Aumenta os riscos de hipotireoidismo (uma disfunção da glândula tireóide). 

 É pouco eficiente como medida para tornar uma cadela hiperativa mais calma. 

 É pouco eficiente como medida para tornar uma cadela agressiva mais mansa. 

Prós da castração de machos 

 Elimina completamente o pequeno risco de câncer testicular 

 Reduz o risco de doenças prostáticas não-cancerígenas 

 Reduz o risco de aparecerem fístulas (feridas) perianais (na região próxima ao ânus) 

 Pode reduzir o risco de diabetes 

 Se feita precocemente, pode evitar que se torne agressivo com outros machos 

 Se feita precocemente, pode evitar que apresente comportamento sexual indesejável, como montar em pernas, montar em almofadas, etc. 

 Se feita precocemente, pode evitar a demarcação de território com urina. 

 Se feita precocemente, pode evitar fugas motivadas pelo desejo de acasalar. 

 Se feita precocemente, evita que cães de trabalho sejam distraídos por odores e outros estímulos produzidos por cadelas no cio. 

 Pode reduzir o volume de queda das trocas de pelo sazonais. 

 Evita acasalamentos indesejáveis em qualquer dos casos abaixo: 

a-) Você tem macho e fêmea em casa 

b-) Você possui cães sem pedigree 

c-) Seus cães apresentam parentesco entre si; 

d-) Seus cães apresentam desvios do padrão da raça ou doença de herança genética; 

f-) Você não quer ou não tem condições de cuidar de uma cadela gestante e de todos os filhotes até que todos sejam vendidos ou doados. 

Contras da castração de machos 

 Se feita antes de um ano de idade, aumenta o risco de desenvolvimento de osteossarcoma (câncer ósseo). 

 Aumenta o risco de hipotireoidismo (uma disfunção da tireóide) 

 Aumenta o risco de obesidade 

 Se realizada antes da maturidade física se completar, a castração pode alterar a aparência adulta, podendo deixar o macho com aspecto menos masculino e um pouco mais alto e estreito em comparação aos machos não-castrados da mesma raça e idade. 

 Uma cirurgia de castração realizada com anestésico de segurança questionável (em geral, em cirurgias muito baratas) pode lesionar o fígado. 

 É questionável como medida para tornar um cão hiperativo mais calmo. 

 É questionável como medida para tornar um cão agressivo mais manso. 

Considerações finais importantes 

Como você deve ter notado, os novos dados da literatura científica estão indicando que a castração seja preferencialmente realizada após o primeiro cio da cadela (até os 2,5 anos de idade), e nos machos, após o completo desenvolvimento físico (por volta de 1,5 ano a 2 anos, para cães de grande porte). Essas orientações buscam minimizar os impactos negativos da falta de hormônios sexuais na saúde geral do animal, bem como na sua aparência física. 

Entretanto, se você busca benefícios comportamentais, como evitar que seu cão monte em pernas, ou estranhe outros machos, ou que sua fêmea de trabalho ou de esporte não perca dias de atividade em função do cio, a castração precoce (antes da puberdade, por volta dos 6 meses), é mais indicada. Cães que são castrados pré-púberes costumam apresentar comportamento assexuado que agrada a muitos perfis de proprietários, ainda que estejam predispostos a maiores riscos de saúde. 

Não banalize a cirurgia. Independentemente da idade do cão, procure um bom médico-veterinário, com experiência em cirurgia, para realizar a castração. Apesar de ser um procedimento rotineiro, a castração – em especial a de fêmeas – exige conhecimento e técnica. 

Uma cirurgia de castração bem feita certamente custa mais do que uma realizada em mutirões. Mas vale a pena: o veterinário certamente pedirá exames pré-cirúrgicos (hemograma, eletrocardiograma), realizará a cirurgia com calma, atento a alterações em outros órgãos, usará um anestésico mais seguro e o orientará sobre o pós-cirúrgico. 

E, finalmente, você também pode optar por manter seu cão ou cadela "inteiro(a)", ou seja, sem submetê-lo(a) à cirurgia de castração. No caso das cadelas, muito mais do que nos machos, é importante ficar sempre atento a alterações como presença de caroços nas mamas, corrimento vaginal purulento – ou qualquer corrimento fora do período de cio - apatia, etc. Se suspeitar de alguma coisa, já sabe: leve o cão ao médico-veterinário. 

Se você pretende acasalar seu Golden, procure seguir as orientações abaixo: 

 Não acasale seu macho antes de um ano de idade. O ideal é fazê-lo depois de ele completar o desenvolvimento físico (2 anos). Acasalar muito cedo pode causar fratura do osso peniano (sim, existe um osso dentro do pênis dos cães). E você só pode fazer o exame definitivo para detecção da displasia coxo-femoral a partir dos dois anos de idade. 

 Não acasale sua fêmea antes do terceiro cio. O ideal é acasalar depois dos dois anos de idade dela, quando ela está mais madura física e psicologicamente. E você só pode fazer o exame definitivo para detecção da displasia coxo-femoral a partir dos dois anos de idade. 

 Não acasale seu Golden macho ou fêmea se ele, aos 2 anos de idade, for considerado displásico (grau D ou E de displasia coxo-femoral). Esse exame radiológico deve ser feito e analisado por médicos-veterinários com experiência em radiologia e ortopedia. 

 Não acasale seu Golden macho ou fêmea com cães sem pedigree emitido pela Confederação Brasileira de Cinofilia. O pedigree é um documento que atesta a origem e a genealogia do cão de raça. 

 Procure o criador que lhe vendeu seu macho ou sua fêmea para que ele ou ela te oriente sobre o acasalamento, qual macho ou fêmea escolher para a cruza, como proceder, como cuidar da gestante, como cuidar dos filhotes, registrá-los e etc. Isso é muito importante para garantir que o acasalamento resulte em uma ninhada que contribua com essa raça que tanto amamos. 

Referências bibliográficas: 


http://www.caninesports.com/SpayNeuter.html 

http://www.naiaonline.org/pdfs/LongTermHealthEffectsOfSpayNeuterInDogs.pdf  

Fonte: 
http://www.cachorroverde.com.br/castracao.php ( médica veterinária: Sylvia Angélico)


 

Golden Calli

Especializado em Golden Retriever